Ciclo da água é fundamental para a agropecuária brasileira

Ciclo da água começa pela etapa de evaporação

O ciclo da água acontece a partir de fenômenos. O calor que irradia do sol promove o aquecimento da água de lagos, mares, oceanos e rios e despertando a etapa de evaporação. A partir disso, acontece a transformação do vapor em água líquida até o seu estado gasoso. Isso acontece ao passo que esse vapor se desloca da parte superior da Terra até a atmosfera.

O vapor desse ciclo da água começa a esfriar, acumulando-se pela atmosfera e condensando-se no formato de gotas. Elas, então, comporão nevoeiros ou nuvens. Em seguida, acontece a etapa de condensação. Nesta, ocorre a transformação do estado gasoso para o líquido, sendo que as nuvens estão preenchidas de gotas de água no estado líquido, que ficam pelo ar, em suspensão.

O que é o ciclo da água?

Ciclo da água é o processo de transformação das etapas pelas quais a água passa. A partir do acúmulo de bastante água em condensação atmosférica, dá-se o início do processo de precipitação. Neste, as gotas ficam suspensas pelo ar, pensando e caindo até o solo como chuva. Nas áreas frias, a água em condensação acaba passando pelo estado gasoso até o líquido e, de forma rápida para o sólido, compondo granizos ou neve.

Assim que o vapor da água fica condensado e despenca da superfície da Terra, acontece a etapa da infiltração de um fragmento da água que alimenta lençóis subterrâneos. Um tanto da água infiltrada na região do solo pode ter absorção pelas próprias plantas que, por conseguinte ao uso, realizam a devolução à atmosfera através da etapa denominada de transpiração.

Evaporação da água

Para entender como ocorre o ciclo da água, é preciso compreender a fase inicial, chamada de evaporação. Todos os seres vivos costumam perder água de forma constante. Os humanos perdem água, por exemplo, em momento que acontece a ventilação dos pulmões, a partir da transpiração e juntamente a fezes e urina. Em relação as plantas, há a perda da água em formato de vapor a partir das transpirações.

Condensação da água

Esse vapor que os seres vivos perdem, em conjunto ao que tem produção pela evaporação da água oceânica, lagos e rios, por conseguinte, segue para a superfície atmosférica, acumulando-se. Logo que o vapor alcança as áreas mais altas e com menores temperaturas, acontece o processo de condensação. É nesse momento que água se transforma em líquido. A consequência disso é a composição de gotas pequenas da água, dando origem à nuvem.

As gotas se unem, compondo gotículas que vão aumentando. Logo, quando as gotas não conseguem mais ficar flutuando no ar, em razão da sua densidade, vão caindo em formato de chuva. Em dias de frio, a condensação acontece em altitudes mais baixas, em formato de neblina, caracterizada pelas nuvens que têm formação perto do chão.

Solidificação

Em relação as nuvens, ao passo que a temperatura esteja menor a 0º, as gotas da água podem acabar se solidificando, compondo cristais pequenos. Os cristais têm acúmulo e podem acabar caindo em formato de neve, em determinadas regiões.

É possível, ainda, que aconteça a chuva de granizo. Isso acontece quando existe uma alteração repentina da pressão na área abaixo da nuvem e as gotas, carregadas pela circulação de ar, seguem para as alturas maiores. Então, eleva-se, de forma considerável, o tamanho das mesmas que, então, solidificam-se.

Assim que os pedaços do gelo aumentam, o peso também aumenta e, por conseguinte, precipitam em formato de granizos, despencando ao chão.

Fusão

Nas áreas de frio ou de altitudes grandes, é possível que existam a composição de neves. Ao longo do verão, logo que há o aumento das temperaturas, um fragmento da neve acaba derretendo, sofrendo a fusão. Isso significa que se transformará em líquido. A água, então, desliza pelas montanhas e se acumula compondo rios e lagos. Ela pode, ainda, promover um aumento do volume das águas de rios que já existem. Por conseguinte, a neve derretida em geleiras polares segue para as áreas oceânicas.

A importância do ciclo da água para o agronegócio

Grande parte da água utilizada pelos agronegócios e pela pecuária brasileira é provinda das chuvas. Ela é usada para todo o trabalho rural. Essa é a importância do ciclo da água para a área. Portanto, não acontece nenhum tipo de desperdício indevido para os exercícios socioeconômicos.

Todo o setor agropecuário do Brasil é uma área de ponta. É moderna e possui tecnologias indicadas para adequar a água captada da chuva, recarregar lençóis freáticos e, ainda, revitalizar mananciais e riachos, destacando-se a construção de mini-açudes e barragens para que enxurradas sejam captadas. Dessa forma, promovem a infiltração de água na região do solo e intercepções de fluxo de erosões laminares.

Com isso, o solo ganha uma maior umidade e os lençóis freáticos se elevam.

Tecnologias para o ciclo da água

Tais tecnologias têm implementação em várias áreas do país, desde muitos anos. É visível o quantitativo expressivo de barragem e mini-açudes com construção por empreendedores do meio rural brasileiro. Logo que o problema dos desperdícios tiveram apresentação, as medidas foram adquiridas.

Tanto a pecuária quanto a agricultura acabaram se antecipando em relação a essas condições, e resolveram-as. Demais tecnologias que conservam a água e o solo estão sendo usadas, de forma igualitária como nas intervenções a seguir:

    • terraceamento;
    • sistemas integrados;
    • plantio direto.

De mesma maneira, a área tem adoção a lavoura integrada entre florestas e pecuárias, junto de construção de terraços e plantio direto. O intuito é fazer a garantia da produtividade da água em fazendas, através de infiltrações intensificadas das fases do ciclo da água até o solo, aumento os graus aquíferos e o lençol freático.

Ambos os setores, agropecuários brasileiros, não aguardam a crise do ciclo da água surgir para reagirem. Em virtude do empreendedorismo e de pesquisas realizadas por diversas universidades, a área colocou-se à frente ao tempo. Todo o seu caráter moderno têm reconhecimento internacional.

Esse saber da ciência gerou em últimos anos a comprovação de que há a possibilidade de fazer uso do ciclo da água pela agricultura sendo, a mesma, racionada para não cometer nenhum tipo de desperdício. Frente a crise das hídricas em áreas brasileiras importantes, é essencial que as pessoas saibam disso.

Fonte: Agro 2.0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *